???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.unicentro.br:8080/jspui/handle/tede/319
Tipo do documento: Dissertação
Título: ESTUDO DA CORROSÃO MICROBIOLÓGICA NO AÇO INOXIDÁVEL 316 EM Na2SO4 0,5 mol Lˉ¹
Título(s) alternativo(s): Study of corrosion microbiological of steel AISI 316 in Na2SO4 0,5 mol Lˉ¹
Autor: Moraes, Jeferson Egner de 
Primeiro orientador: Furstenberger, Cynthia Beatriz
Primeiro coorientador: Rodrigues, Paulo Rogério Pinto
Resumo: O aço AISI 316 é resistente à corrosão, viabilizando sua aplicação em sistemas de distribuição de água, indústrias de papel, petrolífera e alimentícia. Sua durabilidade é devida ao alto teor de cromo e níquel, pois estes elementos formam uma camada de óxido auto-passivante, conferindo-lhe resistência em meios oxidantes. A durabilidade do aço AISI 316 tem diminuído, devido à ação de microorganismos existentes no meio industrial, onde há a proliferação de algas, fungos e bactérias, que juntos formam o biofilme. No presente trabalho estudou-se a influência da Escherichia coli na corrosão do aço AISI 316, em meio de Na2SO4 0,5 mol Lˉ¹. Foram utilizadas as técnicas de potencial de circuito aberto (PCA), polarização anódica potenciodinâmica (PAP), espectroscopia de impedância eletroquímica (EIE), microscopia óptica (MO), voltametria cíclica (VC) e microscopia eletrônica de varredura (MEV). Os resultados obtidos nas curvas de PAP para o pH 7 revelaram que o aço AISI 316 é passivo até 0,95V/ESM. Verificou-se que na região transpassiva a solução com 0,1% de E. coli minimizou a densidade de corrente, devido à formação do biofilme porém, quando se aumentou a concentração de E. coli para 1% e 10%, notou-se que, a densidade de corrente aumenta significativamente. Isto se deve ao fato de haver o descolamento do biofilme da superfície do metal. Apesar de ter ocorrido um aumento do potencial anódico no meio em pH 6, e em pH 8, as curvas de polarização nos três valores de pH demonstraram comportamentos semelhantes. As EIE confirmaram que a resistência do aço AISI 316 diminui com o aumento da concentração de bactérias. As micrografias para os três valores de pH estudados revelaram a formação de biofilme sobre a superfície do metal, bem como o surgimento de corrosão, comprovada por voltametria cíclica. A MEV elucidou que o tipo de corrosão que o aço inoxidável AISI 316 sofre na presença da E. coli é localizada (pites). A região onde o biofilme fica aderido torna-se pouco oxigenada, fazendo com que o aço perca a capacidade de formar a camada de óxido auto-passivante, tornando-se susceptível a corrosão.
Abstract: Steel AISI 316 is resistant to the corrosion, making possible its application in systems of water distribution, industries of paper, petroliferous and nourishing. Its durability must to the high purport of chromium and nickel; therefore these elements form an auto-passivante oxide layer, conferring resistance to it environmental oxidants. The durability of steel AISI 316 has diminished, due to action of existing microorganisms in environmental industrial, where it has the seaweed increase, fungus and bacterium. In the present work it was studied the influence of Escherichia coli in the corrosion of steel AISI 316, in environment Na2SO4 0,5 mol Lˉ¹. The techniques open circuit potential had been used (OCP), Linear Sweep Voltametry (LSV), spectroscopy of electrochemical impedance (SEI), optic microscopy (OM) and cyclic voltametry (CV) and scanning electron microscopy (SEM). The results gotten in the LSV,in pH 7 had disclosed that steel AISI 316 is passive in until 0,95V/ESM. It was verified that in the transpassive region the solution with 0,1% of E. coli minimized the current density, two to formation of biofilm, however when the concentration of was increased. E. coli for 1% and 10%, this was noticed that the current density increases significantly, if it must to the fact have the to detach of biofilm of the surface of the metal. Although to have occurred a augmentation of the anodic potential in the way in pH 6, and in pH the 8, the linear sweep voltametry in the three values of pH had demonstrated similar behaviors. The SEI had confirmed that the resistance of steel AISI 316 diminishes with the addition of the concentration of bacteria. The micrographs had disclosed the formation of biofilm on the surface of the metal, as well as the sprouting of corrosion, proven for cyclic voltametry. The SEM elucidated that the type of corrosion that stainless steel AISI 316 suffers in the presence from the E. coli is located (pitting). The region where biofilm is adhered becomes little oxygenation, making with that the steel loses the capacity to form the auto-passivante oxide layer, becoming susceptible the corrosion.
Palavras-chave: corrosão microbiológica
aço inoxidável AISI 316
Escherichia coli
microbiological corrosion
stainless steel AISI 316
Escherichia coli
Área(s) do CNPq: CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::QUIMICA
Idioma: por
País: BR
Instituição: UNICENTRO - Universidade Estadual do Centro Oeste
Sigla da instituição: UNICENTRO
Departamento: Unicentro::Departamento de Química
Programa: Programa de Pós-Graduação em Química (Mestrado)
Citação: MORAES, Jeferson Egner de. Study of corrosion microbiological of steel AISI 316 in Na2SO4 0,5 mol Lˉ¹. 2009. 96 f. Dissertação (Mestrado em Metodologias Analíticas e Aplicações) - UNICENTRO - Universidade Estadual do Centro Oeste, Guarapuava, 2009.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://localhost:8080/tede/handle/tede/319
Data de defesa: 1-Dec-2009
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Química Aplicada

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTACAO_Jeferson.pdf4,22 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.