???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.unicentro.br:8080/jspui/handle/jspui/731
Tipo do documento: Dissertação
Título: DIMORFISMO SEXUAL SECUNDÁRIO EM MORCEGOS: EXPLORANDO A HIPÓTESE DA “BIG MOTHER”
Autor: MARCHIORO, SABRINA 
Primeiro orientador: Miranda, João Marcelo Deliberador
Resumo: O dimorfismo sexual secundário pode se expressar de diversas formas e uma das mais comuns é o dimorfismo sexual de tamanho. Em morcegos, este dimorfismo tende a ser enviesado para as fêmeas. A hipótese da “Big Mother” diz que fêmeas maiores conseguem alocar maior quantidade de recursos na reprodução e, dessa forma, poderiam ter asas relativamente maiores que machos no sentido de carregar o peso extra da gestação e do filhote após o parto. Assim, os objetivos foram testar se as fêmeas são maiores globalmente e/ou se elas possuem as asas relativamente maiores que os machos. Foram tomadas oito medidas morfométricas lineares em nove espécies de morcegos neotropicais pertencentes a três famílias. O dimorfismo sexual secundário absoluto em cada espécie foi testado a partir de testes t de Student com a variável do comprimento cabeça/corpo para cada espécie. Para testar o dimorfismo sexual relativo realizou-se análises dos componentes principais (PCA) e com o resultado dos scores dos dois primeiros PCs foram realizados testes T² de Hotelling e também análises discriminantes, para cada uma das nove espécies. Apenas quatro espécies tiveram fêmeas maiores no tamanho absoluto: Sturnira lilium, Artibeus lituratus, Myotis izecksohni e Eptesicus furinalis, enquanto Molossus molossus foi a única espécie com machos maiores que fêmeas. As outras quatro espécies não apresentaram diferenças no tamanho absoluto entre os sexos. Quanto ao dimorfismo relativo, oito espécies possuem asas maiores (relativamente) que as dos machos, com exceção de Molossus rufus. Dessa forma, o presente trabalho corrobora com a hipótese da “Big Mother”, pois mesmo quando as fêmeas foram menores que os machos globalmente, ou não houve diferença entre os sexos no tamanho absoluto, de maneira geral as fêmeas foram maiores que os machos no tamanho relativo dos elementos alares. Isso permite uma boa aerodinâmica, manobrabilidade, estabilidade, propulsão e sustentação, durante o voo, características importantes para carregar o peso extra do filhote.
Abstract: The secondary sexual dimorphism may be shown in several manners, and one of the most common is the sexual dimorphism in size. In bats, this dimorphism tends towards the females. The "Big Mother" hipothesys says that bigger females can alocate a larger amount of resources in reproduction, and an unfolding of this hipothesys is that females could have relatively larger wings than males in the sense of carrying the extra weight of pregnancy and newborn pup. So the objectives of this chapter were to test if the females are globally bigger and/or if they posess wings relatively bigger than males. Eight morphometrical linear mesures were taken from nine neotropical bat species belonging to three families. The absolute secondary sexual dimorphism in each species was tested with Student's t with the variable of length of head/body to each species. To test de the relative secondary sexual dimorphism a principal components analisys (PCA) was made and the result of the scores of the two first PCs were used to make tests Hotelling's T² and also discriminant analisys to each of the nine species. Only four species had females bigger in absolute size: Sturnira lilium, Artibeus lituratus, Myotis izecksohni and Eptesicus furinalis, while Molossus molossus was the only species with males bigger than females. The remaining species didn't show differences in the absolute size among the sexes. As for the relative dimorphism, all nine species showed relative differences among the sexes, with females of eight species having (relatively) larger wings than males, with exception of Molossus rufus. So, the present work corroborates with the "Big Mother" hipothesys, because even when females were smaller than males globally, or there was no difference among the sexes in absolute size, in a general manner females were larger than males in the relative size of wing elements. This allows good aerodynamics, maneuverability, stability, propulsion and sustentaining during flight, important characteristics for carrying the extra weight of the pup.
Palavras-chave: Chiroptera
Vespertilionidae
Phyllostomidae
Morfometria linear
Morfologia
Molossidae
Hipótese “Big Mother”
"Big Mother" Hipothesys
Vespertilionidae
Morphology
Molossidae
Linear morphometry
Chiroptera
Área(s) do CNPq: CIENCIAS BIOLOGICAS
CIENCIAS BIOLOGICAS::BIOLOGIA GERAL
CIENCIAS BIOLOGICAS::GENETICA
CIENCIAS BIOLOGICAS::BOTANICA
CIENCIAS BIOLOGICAS::ZOOLOGIA
CIENCIAS BIOLOGICAS::ECOLOGIA
CIENCIAS BIOLOGICAS::BIOQUIMICA
CIENCIAS BIOLOGICAS::MICROBIOLOGIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Estadual do Centro-Oeste
Sigla da instituição: UNICENTRO
Departamento: Unicentro::Departamento de Biologia
Programa: Programa de Pós-Graduação em Biologia Evolutiva (Mestrado)
Citação: MARCHIORO, SABRINA. DIMORFISMO SEXUAL SECUNDÁRIO EM MORCEGOS: EXPLORANDO A HIPÓTESE DA “BIG MOTHER”. 2017. 59 f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Biologia Evolutiva - Mestrado) - Universidade Estadual do Centro-Oeste, Guarapuava - PR.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.unicentro.br:8080/jspui/handle/jspui/731
Data de defesa: 13-Mar-2017
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Biologia Evolutiva

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
SABRINA MARCHIORO.pdfSABRINA MARCHIORO1,44 MBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.