???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede.unicentro.br:8080/jspui/handle/jspui/1501
Tipo do documento: Dissertação
Título: CORPOREIDADE INFANTIL: QUANDO O CORPO-CRIANÇA É TRANSFORMADO NO CORPO-ALUNO
Título(s) alternativo(s): Infant corporeity: when the child-body is converted into student-body
Autor: SANTOS, ALINE CRISTIANE RIBEIRO FERREIRA DOS 
Primeiro orientador: Lira, Aliandra Cristina Mesomo
Resumo: Nas últimas décadas o universo das crianças bem como o dos alunos vem sendo estudado por diferentes áreas do conhecimento a partir de diversas abordagens oferecendo um rico panorama sobre a categoria infância e as especificidades infantis, especialmente sua educação. Essa investigação insere-se no bojo das discussões do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Infantil- GEPEDIN/CNPq/UNICENTRO, vinculada à linha de pesquisa Educação, Cultura e Diversidade e buscou problematizar como se dão as experiências corporais das crianças de 4 e 5 anos em duas diferentes instituições públicas na cidade de Guarapuava/PR. Como objetivos específicos buscamos compreender a infância e a Educação Infantil como tempos de vivência de ricas experiências do ser criança; refletir sobre o corpo, de seus modos de controle e disciplinamento nas instituições educativas; observar e problematizar as experiências corporais vividas pelas crianças de duas turmas de pré-escola. As reflexões sobre a corporeidade infantil se deram no lastro da perspectiva foucaultiana, a qual julgamos adequada para dirigir um olhar crítico aos fenômenos educativos que afetam as crianças e seus corpos. Metodologicamente, realizamos observações, com registros em diário de campo, em duas turmas de pré-escola de duas instituições públicas do município de Guarapuava/PR. Partimos da consideração da criança como sujeito de direitos e produtora de cultura, sendo que a função sócio-política e pedagógica da Educação Infantil impele à necessidade de ofertar experiências ancoradas nas interações e brincadeiras. Na sequência, discutimos as concepções de corpo e a corporeidade como envoltos em relações de poder que buscam disciplinar, controlar e formatar os sujeitos infantis, especialmente nas instituições educativas. O acesso aos dados nos permitiu reconhecer que é por meio da rotinização das práticas, das limitações espaciais e das evocações verbais de professores que se intensificam os disciplinamentos corporais aos sujeitos infantis, com amplo espaço para as repetições as quais reforçam comportamentos e atuam na destituição do corpo-criança e na conformação do corpo-aluno. O governo, inicialmente realizado a partir das orientações de um sujeito exterior, mostra-se eficaz e em pouco tempo as crianças já não necessitavam mais da figura adulta, pois internalizavam a vivência de um corpo contido, adaptado. O contexto institucional, por meio de normas, músicas, rotinas e um cotidiano permeado por relações de poder impõe forças visíveis e invisíveis sobre os corpos das crianças. O brincar, quando observado, faz parte do contexto da sala de aula, sendo pouco explorados os espaços externos e limitadas as interações. Frente a um contexto que embrutece e desumaniza sinalizamos que a dança, como linguagem expressiva, pode representar uma prática que enfrenta a acinesia e colabora para uma vivência saudável da corporeidade, ou seja, uma forma de resistir ao engessamento dos corpos e caminhar para a soltura.
Abstract: In the last decades, the universe of children, as well as that of students, has been studied by different areas of knowledge and with different approaches, offering a rich overview of the category of childhood and children's specificities, especially their education. The investigation is part of the discussions of the Group of Studies and Research in Early Childhood Education - GEPEDIN / CNPq / UNICENTRO and is linked to the line of research Education, Culture and Diversity and sought to problematize the corporal experiences of children aged 4 and 5 years in two different municipal schools in the city of Guarapuava / PR. As specific objectives we seek to understand childhood and early childhood education as times of experiencing rich experiences of being a child; reflect on the body, its modes of control and discipline in educational institutions; observe and problematize how the bodily experiences lived by the children of two preschool classes. Reflections on an infantile corporeality were based on the Foucaultian perspective which we deem appropriate to direct a critical look at educational phenomena that affect it in children and their bodies. Methodologically, we made observations, with field diary records, in two preschool classes from two public institutions in the city of Guarapuava / PR. We start from the consideration of the child as a subject of rights and a producer of culture being that the socio-political and pedagogical function of Early Childhood Education impels the need to offer experiences that promote interactions and games. In the sequence, we discuss the conceptions of the body and corporeality as involved in power relations that seek to discipline, control and format children's subjects, especially in educational institutions. Access to data that allowed us to recognize that it is through the routinization of practices, spatial limitations and verbal evocations of teachers that corporal disciplines are intensified, with ample space for repetitions which reinforce behaviors and act in the removal of the body- child and the conformation of the student- body.The government initially carried out from the orientations of an outside subject proved to be effective and in a short time the children no longer needed the adult figure, as they internalized the experience of a contained, adapted body. The institutional context, through norms, music, routines and a daily life permeated by power relations, imposes visible and invisible forces on the bodies of children. The playing, when observed, is part of the classroom context, the external spaces are little explored and interactions are limited. Faced with a context that makes us brutalized and dehumanizes, we signal the Dance, for being an expressive language, can represent a practice that faces akinesia and contributes to a healthy experience of corporeality, that is, a way of resisting the plastering of bodies and walking for release.
Palavras-chave: Educação Infantil
Corpo
Dança
Disciplinamento
Jogos Corporais
Child Education
Body
Dance
Disciplining
Body Play
Área(s) do CNPq: CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Estadual do Centro-Oeste
Sigla da instituição: UNICENTRO
Departamento: Unicentro::Departamento de Ciências Humanas, Letras e Artes
Programa: Programa de Pós-Graduação em Educação (Mestrado - Irati)
Citação: SANTOS, ALINE CRISTIANE RIBEIRO FERREIRA DOS. CORPOREIDADE INFANTIL: QUANDO O CORPO-CRIANÇA É TRANSFORMADO NO CORPO-ALUNO. 2020. 104 f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Educação - Mestrado - Irati) - Universidade Estadual do Centro-Oeste, Guarapuava - PR.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.unicentro.br:8080/jspui/handle/jspui/1501
Data de defesa: 3-Aug-2020
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Educação (Mestrado - Irati)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação_corporeidade infantil_quando ocorpo criança é transformado no corpo aluno_Aline_2020_ppge.pdfDissertação - ALINE CRISTIANE RIBEIRO FERREIRA DOS SANTOS824,65 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.